L. Szondi


News
Szondi Institut
Articles
Szondi Vectors Descriptions
Literature
New Developments
Szondi's Applications
Szondi Groups
Links
Personality Developments
The Latin Section
Rorschach
Books
Phoenix-Hus









PERFIS SEXUAIS

1. S+O

Predomínio do Eros personalizado, de modo infantil.

( S +!O: sexualidade pregenital ). O sujeito manifesta uma necessidade de ternura que se manifesta a maior parte das vezes de modo infantil, na medida em que falta o componente ativo da sexualidade. Quando esta reação é hipertrofiada (+!O), existe quase sempre uma necessidade evidente de regredir para modos de satisfação sexual muito infantis, sob o signo da dependência e da passividade.. Quando estas necessidades não são satisfeitas - em razão muitas vezes do caráter exorbitante da demanda - o sujeito pode reagir com violência. E o outro sentido possível de SO.

2. SO+

Predomínio da agressão, do sadismo ou da dominação, com busca de satisfações sexuais infantis.

( S O +! sadismo sexual ou outro). A necessidade de agredir, de dominar, de controlar, tomam dianteira sobre a tendência a estabelecer relações eróticas mutuamente gratificantes. Freqüentemente se trata de sedutores ou de encantadores cuja sexualidade, antes fraca, se satisfaz pelo ato da conquista. A acentuação das tendências agressivas (S O+! ) agrada fortemente pela existência de tendências sádicas perversas.

3. S-O

Predomínio do amor coletivo ou platônico, com satisfação das tendências agressivas nos empreendimentos de estilo geralmente humanitário.

S-!O repressão excessiva do Eros. Esta reação é típica da sublimação ativa conquanto tenha o ego atingido um grau de maturidade suficiente. A acentuação ( -!O) deve fazer pensar num componente homossexual.


4. SO-

Predomínio do dom de doar-se, sacrifício, passividade.

(O-! masoquismo sexual ou outro )

O sujeito tende a encontrar sua história numa relação de dependência passiva. A acentuação desta tendência (O-!) agrada fortemente pela existência de um masoquismo perverso.

Acrescentamos que esta reação é freqüentemente encontrada entre os criminosos passionais. A investigação analítica demonstra que entre muitos assassinos, as tendências masoquistas inconscientes são muito desenvolvidas. E comum verificar que um criminoso, uma vez completado seu gesto, experimenta uma sensação de alívio e de calma interior, sentimento que se reforça ainda quando confessa seu crime, assim evocando a punição inconscientemente desejada. E o segundo sentido de s-!

5. S++

Sexualidade adulta normal.

Associação das duas correntes, ternura e agressividade, da sexualidade.

(S +!+! ) insatisfação sexual. Este perfil é normativo. Estatisticamente, também é o mais expandido. Quando um dos dois termos ou todos os dois são acentuados (+!+!), deve-se pensar que as necessidades sexuais não encontram satisfação na realidade. Esta hipertensão é freqüente, vimos, entre todas as categorias de doentes mentais .


6. S- -

Sexualidade normal sublimada, disponível para as obras de cultura (h-) e de civilização (s-).

S-!-! sublimação suspeita ( homossexualidade ou perversão ). Este perfil é característico da sublimação bem sucedida, por quanto tenha o ego atingido um grau de evolução superior ( S , +, + + ). Senão é preciso antes pensar numa forma de sensualidade neurótica ou perversa, sobretudo, quando um ou outro fator está hipertenso.

Correntemente confirma a clínica psicanalítica, a proximidade destas duas estruturas : sublimação e perversão. Em ambos os casos, o curso normal da sexualidade encontra-se desviado, tanto quanto ao objeto, quanto ao modo de satisfação procurado. O perverso distingue-se, todavia, do indivíduo sublimado pela hipertonia das tendências negativas ( h-! ou s-! ) e a estrutura mais frágil do ego. Apresenta, aliás, distúrbios do contato do tipo psicopata. A maior parte das vezes, também, o perverso apresenta no plano de trás e por vezes mesmo, no plano anterior, reações exatamente opostas (h+! ou s+! ) que testemunham a clivagem intensa a qual toda a sua vida pulsional é submetida. Szondi cita muitas vezes o caso de um criminoso nazista perverso, notório, que apresentava alternadamente, no seu plano anterior , a reação s-!!! e a reação s+!!! ( TP, 387 ).

7. O

Hesitação entre o Eros individual e o Eros coletivo. Bissexualidade.

O dilema reside na escolha de uma via própria para satisfazer a necessidade de amor do

sujeito : deve ele esperar a satisfação de uma pessoa determinada ou será necessário a ele abraçar uma causa mais vasta ?

Mais profundamente e mais essencialmente, o sujeito hesita entre a via homossexual e a via heterossexual. Seu desejo visa os dois sexos.

8. SO

Sadomasoquismo sexual ou moral.

Este perfil é típico dos sadomasoquistas, nos quais as exigências eróticas são fracas, diante da necessidade de manter com seus objetos relações serradas e perpetuamente problemáticas, onde o perseguidor e o perseguido, o dominante e o dominado não cessam de trocar seus papéis.

9. S+-

Passividade total. Inversão sexual no homem.

Este perfil indica a tendência a adotar uma posição sexual, tão passiva, tão abandonada, quanto possível .Classicamente é a imagem da sexualidade feminina. A passividade sexual é típica dos sujeitos obsessivos nos quais se reveste de uma significação defensiva .A mesma anotação é válida para os psicastênicos e os depressivos. Quando esta tendência é hipertrofiada ( +!-!), torna-se necessário que se suspeite, no homem, de fortes disposições à homossexualidade passiva, e na mulher, de inclinações masoquistas ( mulheres escravas, sempre submissas, oferecendo-se de antemão a todos os caprichos dos seus parceiros; este perfil é freqüente entre as prostitutas de ocasião). Igualmente vimos que este perfil, quando é fortemente acentuado, era típico da regressão narcísica extrema, tal como é encontrada nos psicóticos. ( Esquisofrênicos e melancólicos ).

10. S-+

Sexualidade viril agressiva. Humanismo militante.

Este perfil é freqüente nos indivíduos que reprimem suas aspirações eróticas e que tendem a satisfazer suas necessidades de atividade ou de afirmação viril pelo turgimão das ações humanitárias de caráter agressivo (assistentes sociais... ). Esta reação encontra-se classicamente nos histéricos, naqueles cuja negação de castração está em primeiro plano nos conflitos de identidade. A aceitação destas tendências (h-!s+!) inclina-se para uma certa forma de sadismo ou de homossexualidade ativa mal-sublimada.

11. S-

Sadomasoquismo com repressão ou sublimação de Eros.

O que falta aqui, neste caso, é o desejo ou a capacidade de estabelecer uma relação sexual com o parceiro diferenciado.

12. S-

Necessidade de civilização e de cultura, num sentido feminóide, não excluindo a personalização de Eros

Trata-se de uma forma de sexualidade bastante elaborada, bem equilibrada, característica de uma sublimação que não exclui o desejo, nem a capacidade de estabelecer elos eróticos com objetos bem determinados.

13. S+

Sexualidade normal, mas tingida de passividade e de sadomasoquismo.

E um perfil freqüente que traduz uma certa dificuldade para assumir a dimensão ativa da sexualidade, aliás, sendo esta normal.

14. S+

Sexualidade normal com um cuidado de cultura.

O que falta aqui é a necessidade de doar-se ou de sacrificar-se (s-).


Bissexualidade total.

O sujeito esforça-se para integrar todas as dimensões da sexualidade, empresa raramente coroada de sucesso. Este dilema é freqüente nos histéricos, muito especialmente os fóbicos.

16.SOO

Infantilismo sexual - Anedonismo - Ascetismo Frigidez - Impotência.

Tal perfil pode significar que a sexualidade está momentaneamente inativa pelo fato de uma satisfação orgástica recente ou também que a sexualidade do sujeito está constitucionalmente deficiente. Este caráter deficiente da sexualidade também pode resultar de uma ascese bem sucedida ou de uma rejeição antiga e prolongada( no caso da frigidez primária, algumas vezes ) que fez o sujeito regredir a modos de satisfação libidinal infantil. Na mulher, esta reação significa muitas vezes frigidez periódica, no homem, impotência ocasional.


© 1996-2001 Leo Berlips, JP Berlips & Jens Berlips, Slavick Shibayev